fbpx

Como garantir o controle de qualidade em confecções?

Em qualquer processo de produção industrial, é importante ter padrões regulares na qualidade do produto final. Nas confecções de vestuário, calçados e acessórios, isso não é diferente: o controle de padronização é decisivo para a competitividade e sucesso do negócio e da marca.

Mas determinar práticas de qualidade e padronização nem sempre é uma tarefa fácil. Existem especificações diferentes para cada acabamento, e ter o controle de tudo exige muita organização de processos e um esforço conjunto dos colaboradores da empresa.

Neste artigo, vamos mostrar a você como melhorar e garantir a qualidade das entregas em sua confecção. Vamos lá?

Crie padrões para um controle de qualidade em confecções

O primeiro passo para o controle de qualidade em uma confecção é definir as especificações de cada peça. Mesmo que muitas vezes pareça óbvio para o gestor sobre o que é uma peça não-conforme e o que é uma peça dentro do padrão, é preciso determinar parâmetros de qualidade bastante claros para todos os colaboradores em suas respectivas etapas do processo.

As especificações podem ser apresentadas em manuais e figuras, e é importante que todas estejam disponíveis tanto para o colaboradores que verificarão a qualidade quanto para os responsáveis pela produção. 

Ao determinar os padrões de qualidade, defina também uma margem de tolerância além do ideal. Uma costura que deve ficar a 5cm de distância da costura seguinte pode ter uma margem de  tolerância de 5mm para cima ou para baixo, por exemplo.

layout do parque fabril aliado a uma equipe devidamente capacitada para operá-lo é algo que ajuda, e muito, a manter esses padrões em conformidade. Hoje, a tecnologia de automatização é avançada o bastante para que operadores de máquinas consigam manter uma regularidade maior. Para isso, porém, eles precisam entender tanto de corte quanto da tecnologia do maquinário utilizado.

Na parte de costura, quase todas as confecções ainda usam o maquinário tradicional. Aqui, a atenção de cada operador com os seus padrões de qualidade precisa ser ainda maior.

Determine os melhores materiais para cada peça

Os materiais que serão usados também devem estar especificados — afinal, o tipo de linha e fio utilizado impacta diretamente no resultado da costura. Tecidos com elasticidade, por exemplo, demandam fios de poliamida com elastano e linhas com pontos-chave mais fortes para acompanhar essa maleabilidade.

Portanto, ao desenvolver uma nova coleção, é preciso considerar que a escolha das matérias-primas impactará diretamente na qualidade final do produto. Algumas peças da mesma linha tenham um padrão de acabamento mais alto, e é importante buscar excelência em todas elas.

Para ter sempre matérias-primas com atributos regulares, a confecção deve também exigir padrões de qualidade de seus fornecedores, comprando sempre de quem oferece regularidade e conformidade.

Um ponto importante a ser observado aqui é a partida, que diz respeito à capacidade produtiva das máquinas. Se uma confecção encomenda uma tonelada de malha tingida de preto, por exemplo, é esperado que existam variações no tom entre cada uma, pois a primeira partida da máquina vai tingir 100 quilos de tecidos, a segunda partida mais 100 quilos, e assim por diante.

Mesmo que sejam variações pequenas, é interessante não misturar malhas de partidas diferentes em uma mesma peça montada, pois o produto final poderá apresentar desvios. Para obter um bom resultado, portanto, é preciso controlar a relação entre as partidas.

Desenvolva um sistema para teste de qualidade

Além de determinar os padrões de produção e quesitos da matéria-prima, é importante contar com um sistema para testar a qualidade final dos produtos da confecção. Antes mesmo da peça ser dobrada, passada e embalada, você deve criar etapas para a conferência dos padrões determinados nos tópicos passados.

Peças que fogem dos padrões de qualidade devem ser descartadas ou enviadas de volta para a linha de produção. Com os dados obtidos nessa etapa, é possível que o gestor realize ajustes no processo, buscando uma qualidade ainda melhor e mais regular.

Algumas vezes, essas alterações podem ser a introdução de uma nova técnica, um ajuste de maquinário ou mesmo a orientação de um funcionário; outras vezes, pode ser necessário comprar um novo equipamento ou trocar o fornecedor.

Uma forma de organizar tanto os padrões do controle de qualidade em confecções quanto as etapas de teste é ter a disposição um bom software de gestão especializado no setor. Portanto, pesquise as ferramentas disponíveis no mercado, ERPs especializados em confecções e analise qual atende as suas necessidades.

E você, como acredita que deve ser feito o controle de qualidade em confecções? Já usou alguma das dicas acima ou tem algo diferente para acrescentar? Conte pra gente aqui nos comentários!

NÓS LIGAMOS PARA VOCÊ